Alexandre Pimentel

No mundo inteiro, a alimentação viva vem sendo resgatada e servindo como eficaz ferramenta para recuperação e promoção da saúde. No passado, o alimento não cozido era o principal nas comunidades cristãs-essênias e muitos outros povos o utilizaram.

Hoje é possível desenvolvermos em casa essa cultura que em pouco tempo mostrará seus resultados positivos principalmente na vida de nossos filhos. A produção caseira de brotos e grãos germinados, pelo fornecimento ostensivo de energia vital e grande quantidade de nutrientes essenciais, é tão importante para famílias e comunidades como tomar água, dormir e respirar. É possível produzir brotos em casa e germinar uma grande quantidade de grãos como por exemplo os de feijões, feijão azuki, lentilha, ervilha, alfafa, trevo e rabanete. Para a produção é necessária uma pequena estrutura composta de peneira côncava, bacia média, caixas plásticas quadradas medindo, no máximo, 5cm.de altura, aspersor para água e terra preta orgânica.

Comecemos, entretanto, distinguindo didaticamente a diferença entre brotos e grãos germinados. Broto é o estágio avançado de germinação inicial da semente. Normalmente os brotos têm entre 8cm. e 10cm. de altura e apresentam folhas definidas. O grão germinado, como já disse, é o momento inicial quando apenas uma pequena haste aparece.

Para iniciarmos o preparo caseiro de brotos ou grãos germinados, as sementes devem ficar de molho durante 24 horas. Costumo deixá-las na pia da cozinha, dentro da bacia, cobertas com um pano limpo para evitar eventual invasão de insetos. Após esse período, você deve lavar as sementes utilizando a peneira que deve ser côncava semelhante a uma concha. Então, é só continuar lavando (irrigando sua micro horta!) diariamente sem necessidade de tirar os grãos da peneira, não esquecendo de utilizar um pano escuro para evitar insetos e imitar o escurinho da terra.

Entre quatro e sete dias a maioria das sementes germina e sua plantação caseira chega ao período de colheita. Veja as vantagens dessa técnica: Rapidez no preparo, baixo custo, dispensa agrotóxicos e fertilizantes, aproveitamento de pequenos espaços domésticos, possibilidade de grande variação de culturas e fornecimento de altas doses de energia vital, ou seja, vida. Além disso os brotos e grãos germinados são as fases mais ricas em nutrientes no desenvolvimento vegetal. Eles são facilmente digeridos e assimilados e correspondem em suas características fisiológicas a um processo pré-digestivo pelo qual as proteínas são decompostas em aminoácidos, os carboidratos complexos em açúcares simples e as gorduras em ácidos graxos. Há também o aumento da presença de minerais, enzimas, fitormônios e antibióticos naturais.

Três germinações são minhas preferidas pela grande facilidade, rapidez e variedade de derivados. São as sementes de trigo, girassol e alfafa. As duas primeiras também podem ser cultivadas na terra, em pequenas caixas, o terceiro, preferencialmente na água. Abaixo passo a comentá-las individualmente.

• Germinação da cevada

Você pode germinar a cevada utilizando todas as técnicas da germinação do trigo. Porém, por conter menor quantidade de glúten, ela não tem boa liga para panifícios, sendo necessário nesse caso, o acréscimo de farinha de trigo, mas é possível preparar o leite e seu capim também fornece um delicioso suco de clorofila.

É com cevada germinada, seca e moída que se prepara a farinha de malte, tônico do estômago e agente eficaz da nutrição que contém vitamina B12 (anti-anêmica). Todas as pessoas que digerem mal os amidos (massa, batata inglesa, farinha de cereais etc.), a farinha de malte é recomendada na proporção de colher de sopa acrescida aos alimentos durante o cozimento. Eventualmente pode-se misturar farinha de malte com nossos pratos preferidos. É também possível utilizar o grão da cevada cozido como o arroz integral. Convém evitar cevada perolada, muito polida.

• Germinação do girassol

Para germinar o girassol utilize o mesmo método do trigo, inclusive para fazer o leite que é muito saboroso, desde que as cascas das sementes sejam retiradas antes de liquidificar. A diferença, porém, é que o capim do trigo, devido a grande quantidade de celulose, não pode ser consumido diretamente, enquanto o broto de girassol plantado na terra é uma salada excepcional para qualquer ocasião. Você colhe o broto de girassol em 5 ou 6 dias e mistura-o às verduras e legumes crus de sua preferência. Não esqueça de lavar minuciosamente no caso de colher com a raiz. Em meus plantios, sempre corto com tesoura e deixo a raiz na terra.

• Germinação da alfafa

O grão germinado de alfafa é um dos mais nutritivos. Além do grande potencial energético vital, comum a sementes no início da germinação, é rico em minerais como magnésio, fósforo, alumínio, cloro, silício, sódio e potássio na proporção adequada para construção e fortalecimento de ossos e dentes, tonificação da musculatura, regularização do ritmo cardíaco e aumento de leite materno. As quantidades das vitaminas A, C, E e K também são altas, o que muito ajuda na conquista de uma vida saudável e um organismo equilibrado.

A alfafa também pode ser utilizada tanto para produção de grãos germinados na água, como para brotos na terra. Os grãos germinados da alfafa, tenros e deliciosos, servem como salada, recheio de sanduíches e complementos de saladas mistas. Os brotos, mais firmes e com folhas desenvolvidas, servem para produção do suco verde de alfafa, uma das melhores fontes de clorofila que pode ser associada opcionalmente ao capim de trigo, à couve, hortelã e outras folhas verdes. Leia abaixo o parágrafo sobre as vantagens do suco de alfafa. 

• Outros brotos e grãos germinados

Além dos brotos e grãos germinados que acabei de explicar, é possível produzirmos muitos outros dentro da mesma lógica. Apenas os produzidos a partir de feijões, principalmente do feijão preto, sugiro que você consuma apenas no início da germinação. A experiência me demonstrou que eles não são interessantes para consumo em folhas por conterem toxinas. O grão geminado de feijão também serve para enriquecimento de sopas e outros pratos.

• Onde encontrar verduras e sementes orgânicas

Em sua cidade você sempre deve procurar produtores orgânicos cujo foco é a produção para alimentação humana. Além de vegetais e hortaliças de qualidade eles podem lhe fornecer as sementes e a terra para sua produção caseira. Também as feiras orgânicas e lojas de produtos naturais, além de alguns supermercados, oferecem hortaliças e sementes puras. Tenha cuidado com verduras hidropônicas produzidas em escala, apesar de a maioria não utilizar venenos, é necessário o acréscimo de certos minerais em grande quantidade à água, tornando a verdura desequilibrada e geradora de doenças.

Nossas Acomodações

Clique aqui para ver nossas acomodações!

 


Desenvolvimento: VixCenter ® 2004 • Brasília • DF